Notícias

OUT.FEST 2016 – Últimas Confirmações

Anunciamos hoje os 10 novos nomes que completam o cartaz da 13ª edição do OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, que se perfila como mais uma celebração da criação sem rede, da música sem géneros ou estilos definidos e, claro, da cidade que é parte integrante do Festival.

Jamal Moss, histórico produtor contra-corrente de Chicago, é um dos destaques da programação, com duas actuações que ilustrarão o seu amplo espaço de trabalho: a solo enquanto Hieroglyphic Being, e numa formação inédita com o vibrafonista britânico Orphy Robinson, o trompetista nacional Yaw Tembé e o histórico Evan Parker, que, assim, também ele, subirá por duas vezes ao palco da edição de 2016 do festival.

Da vizinha Espanha acolhemos o pianista Agustí Fernandez, nome grande do jazz europeu finalmente em estreia por terras barreirenses, e para o contingente britânico desta edição um reforço de peso: a produtura de origem nigeriana Klein, talvez um dos mais destacados nomes emergentes no plano internacional do ano que corre, em estreia absoluta em Portugal.

No que diz respeito a músicos nacionais, acolhemos o regresso do guitarrista Manuel Mota, no seu primeiro solo absoluto em edições do OUT.FEST, bem como a estreia no festival de Polido e dos Gume; já Van Ayres apresenta-se a solo em antecipação do seu novo disco, e André Gonçalves regressa, mais de 10 anos após a sua última apresentação no Barreiro, com dois dos mais interessantes discos de electrónica ambiental do último ano na bagagem.

Por fim, estreia nacional também para a nova colaboração do norte-americano Eric Douglas Porter (aka Afrikan Sciences) com a francesa Gael Segalen – o duo, baptizado Les Gracies, desenvolverá uma residência de recolhas sonoras no território da Baía do Tejo, e terá ainda acesso irrestrito ao arquivo sonoro do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, integrando os sons da cidade no espectáculo que apresentará.

O passe global e os bilhetes diários encontram-se à venda na Bilheteira Online, sendo que todas as informações sobre o programa e o festival estão disponíveis em www.outfest.pt

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro e a Baía do Tejo.af_o-f-2016_cartaz_a3

OUT.FEST 2016 – Últimas Confirmações

Anunciamos hoje os 10 novos nomes que completam o cartaz da 13ª edição do OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, que se perfila como mais uma celebração da criação sem rede, da música sem géneros ou estilos definidos e, claro, da cidade que é parte integrante do Festival.

Jamal Moss, histórico produtor contra-corrente de Chicago, é um dos destaques da programação, com duas actuações que ilustrarão o seu amplo espaço de trabalho: a solo enquanto Hieroglyphic Being, e numa formação inédita com o vibrafonista britânico Orphy Robinson, o trompetista nacional Yaw Tembé e o histórico Evan Parker, que, assim, também ele, subirá por duas vezes ao palco da edição de 2016 do festival.

Da vizinha Espanha acolhemos o pianista Agustí Fernandez, nome grande do jazz europeu finalmente em estreia por terras barreirenses, e para o contingente britânico desta edição um reforço de peso: a produtura de origem nigeriana Klein, talvez um dos mais destacados nomes emergentes no plano internacional do ano que corre, em estreia absoluta em Portugal.

No que diz respeito a músicos nacionais, acolhemos o regresso do guitarrista Manuel Mota, no seu primeiro solo absoluto em edições do OUT.FEST, bem como a estreia no festival de Polido e dos Gume; já Van Ayres apresenta-se a solo em antecipação do seu novo disco, e André Gonçalves regressa, mais de 10 anos após a sua última apresentação no Barreiro, com dois dos mais interessantes discos de electrónica ambiental do último ano na bagagem.

Por fim, estreia nacional também para a nova colaboração do norte-americano Eric Douglas Porter (aka Afrikan Sciences) com a francesa Gael Segalen – o duo, baptizado Les Gracies, desenvolverá uma residência de recolhas sonoras no território da Baía do Tejo, e terá ainda acesso irrestrito ao arquivo sonoro do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, integrando os sons da cidade no espectáculo que apresentará.

O passe global e os bilhetes diários encontram-se à venda na Bilheteira Online, sendo que todas as informações sobre o programa e o festival estão disponíveis em www.outfest.pt

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro e a Baía do Tejo.af_o-f-2016_cartaz_a3

Agenda OUT.RA para Setembro

Enquanto preparamos a divulgação do cartaz completo do 13º OUT.FEST (recordem os nomes já confirmados aqui), é com um sorriso rasgado que anunciamos a nossa programação regular OUT.RA Música para o mês de Setembro, repleta de nomes internacionais do mais alto gabarito e com a promessa de concertos inesquecíveis e o melhor dos aperitivos para o grande acontecimento de Outubro.

Assim, este mês vamos não uma mas duas vezes ao Velvet Be Jazz Club, primeiro, no dia 17, com o fantástico guitarrista norte-americano Chuck Johnson, um dos máximos expoentes do fingerpicking contemporâneo, acabado de lançar um fascinantes disco pela prestigiadíssima editora Three Lobed, bem secundado pelo projecto que junta o guitarrista barreirense Berlau (Fernando Ramalho) ao saxofonista A.M. Ramos.

Depois, a 24, um duplo concerto que se avizinha bombástico – com o lendário Tom Carter, guitarrista dos inigualáveis Charalambides e grande viajante psicadélico das 6 cordas eléctricas, e o regresso do prodigioso baterista Chris Corsano, desta vez em duo com Rodrigo Amado, saxofonista que é, cada vez mais, uma das figuras de proa do jazz europeu e máximo motivo de orgulho para a música nacional.

Para completar uma trilogia de sábados de eleição, a 1 de Outubro exibimos, em estreia nacional no Cine Clube do Barreiro, o filme “But the Word Dog Does not Bark”, que acompanha de perto uma das mais recentes tournées do Schlippenbach Trio, talvez uma das duas grandes formações da história do jazz europeu, e cujo concerto no OUT.FEST 2011 ainda perdurará por certo na nossa memória – e que melhor ocasião para ver este filme, que nos oferece ângulos privilegiados do labor de Alexander von Schlippenbach, Paul Lovens e Evan Parker,  do que em vésperas da actuação do trio deste último (a outra das duas grandes formações da história do jazz europeu) no OUT.FEST 2016?

Sim, prometemos um Setembro a um ritmo incrível, com alguma da melhor música do mundo – e depois, logo logo a seguir, mais um Outubro em modo OUT.FEST: imprevisível, surpreendente e fundamental.

No Barreiro, pois claro.

Até já!

Festas do Barreiro – Spot da Juventude

Ol@ a tod@s,

As festas do Barreiro começam já hoje (dia 12) e a OUT.RA, em conjunto com a ADAO, a Gasoline e o Gabinete da Juventude da CMB, participa na programação do SPOT DA JUVENTUDE, palco alternativo das Festas localizado junto á Piscina Municipal, mesmo à beira-tejo.

Venha descobrir o programa, repleto de músicas plurais de quadrantes tão diversos como sejam o hip-hop (em português e em crioulo), o rock alternativo, o metal, o reggae ou os recantos mais inclassificáveis da música electrónica.

Vemo-nos por lá!

[button style=”btn-default btn-sm” icon=”glyphicon glyphicon-plus” align=”left” type=”link” target=”true” title=”Mais informações no Facebook do evento” link=”https://www.facebook.com/events/280455122318574/” linkrel=””]

Revelados primeiros nomes para a edição de 2016 do OUT.FEST

Temos o prazer de anunciar hoje os primeiros nomes para a 13ª edição do OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, a decorrer entre os dias 6 e 9 de Outubro, como habitualmente em vários espaços da cidade.

Dando seguimento à identidade bem vincada do festival, a prioridade artística é dada a músicos que desenvolvem trabalhos de bravura, criatividade, progressismo e coerência artística – independentemente de estilos e correntes estéticas.

Assim, encontramos neste primeiro leque de nomes confirmados uma das bandas fundamentais da história do jazz – de todo o jazz – nas últimas décadas, no trio britânico de Evan Parker, Barry Guy e Paul Lytton, para o seu primeiro concerto em Portugal em 15 anos; os pontas-de-lança da tradição de rock psicadélico nipónico Acid Mothers Temple, como sempre liderados pelo virtuoso Hendrixiano Makoto Kawabata; o regresso de Peter Kember (metade dos seminais Spacemen 3) que é igual a dizer Sonic Boom, apresentando aqui o seu trabalho a solo enquanto E.A.R. (Experimental Audio Research), bem como um projecto de workshop a divulgar mais à frente; o lendário Lê Quan Ninh, percussionista, compositor e improvisador francês, que para além de um espectáculo a solo vem também desenvolver um workshop; Foodman, vindo de Yokohama/Tokyo, que vem estrear-se em Portugal na sua primeira digressão pela Europa, depois de se ter tornado uma revelação da música electrónica; os Tropa Macaca, de Joana da Conceição e André Abel, que actuam pela terceira vez no festival, tendo lançado este Verão o seu novo álbum ‘Vida’, pela relevante editora britânica Trilogy Tapes; e, finalmente, Ondness, heterónimo de Bruno Silva, incansável músico com percurso amplamente editado internacionalmente nos últimos anos, e que abrange inúmeras referências da composição, da improvisação, da electrónica e da música ambient.

Os passes globais para o festival já estão à venda, via Bilheteira Online, com preço especial de 20€ válido até dia 9 de Setembro.

O OUT.FEST tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro e a Baía do Tejo.

Ver evento:

 [button style=”btn-default btn-sm” icon=”glyphicon glyphicon-chevron-right” align=”left” type=”link” target=”false” title=”OUT.RA” link=”http://outra.pt/evento/out-fest-2016/” linkrel=””]  [button style=”btn-default btn-sm” icon=”glyphicon glyphicon-chevron-right” align=”left” type=”link” target=”false” title=”Facebook” link=”https://www.facebook.com/events/1634349576876548/” linkrel=””]  [button style=”btn-default btn-sm” icon=”glyphicon glyphicon-chevron-right” align=”left” type=”link” target=”false” title=”Site do Festival” link=”http://outfest.pt” linkrel=””]

OUT.RA Música: Junho e Julho no Barreiro

 

Olá a tod@s,

Junho assinala mais duas mensalidades OUT.RA Música: a 18, o Velvet Be Jazz Club acolhe uma das mais recentes formações regulares do jazz livre nacional, juntando o cada vez mais aclamado saxofone de Rodrigo Amado ao contrabaixo de Hugo Antunes, o trompete de Luís Vicente e a bateria de João Lencastre, e a 25 é a vez do Cine Clube do Barreiro acolher uma estreia europeia – o filme documental “REAK: Trance Music and Possession in West Java“, realizado pelo nómada Arrington de Dionyso, figura incontornável no underground norte-americano desde o início do século, quando o conhecemos como líder dos míticos Old Time Relijun e depois fomos dando conta das suas repetidas jornadas musicais pelo Extremo Oriente.

Ainda em Junho (também a 18) e com repetição em Julho (dia 2), o projecto Cidade Som: Exploradores Sonoros, desenvolvido em várias escolas do Barreiro ao longo do ano lectivo que agora termina, com o apoio da Fundação Jumbo para a Juventude, culmina com um Workshop / Passeio Sonoro na Mata da Machada, dirigido a pais e filhos curiosos pela descoberta dos Sons do quotidiano.

A 9 de Julho, e antes de assinalarmos a nossa pausa de Verão, regressamos com as Summer Night Sessions, em plena varanda do Tejo, na Avenida da Praia, com o fantástico Julinho da Concertina, músico cabo-verdeano que se prepara para lançar novo e muito aguardado álbum.

Vamos!

Maio: FAIL BETTER! & MOSTAFA ANWAR SWAPAN | CASPAR BRÖTZMANN‏

Olá a tod@s,

Revelamos hoje a programação OUT.RA Música para o mês de Maio no Barreiro, feita de duas estreias locais em concerto, e de uma estreia nacional nos ecrãs.

A 20 de Maio, o Velvet Be Jazz Club acolhe o quinteto nacional FAIL BETTER! (Luís Vicente, Marcelo dos Reis, Marco Franco, José Miguel Pereira e Albert Cirera) uma das mais elogiadas novas formações do jazz nacional, em vésperas de edição do seu segundo registo discográfico, e com os múltiplos elogios ao anterior “Zero Sum” ainda bem frescos na memória.

Na abertura, o músico bangladeshi Mostafa Anwar Swapan traz-nos a sua visão profundamente espiritual da música clássica norte-indiana, mesclada com várias outras tradições do médio-oriente, num concerto feito de voz, tambura, sítar e harmónio.

Aceitamos, como habitualmente, reservas para o mail info@outra.pt

Antes, a 14 de Maio, a programação mensal no Cine Clube do Barreiro traz-nos o filme “That’s when the world is mine”, focado no poderoso guitarrista Caspar Brötzmann e no seu trio Massaker, força fundamental do jazz e das músicas experimentais europeias desde a década de 90.

A programação de cinema é, também como habitualmente, de entrada livre.

Vemo-nos por lá.

Até já!

OUT.RA Música em Abril: RED Trio & Susana Santos Silva | Einstuerzende Neubauten em Berlim-Leste

Olá a tod@s,

A programação da OUT.RA Música prossegue em Abril, com propostas únicas e inéditas.

No dia 8, o Velvet Be Jazz Club acolhe a primeira colaboração entre os lisboetas RED Trio e a portuense Susana Santos Silva, ambos figuras de proa do novo jazz nacional – o pianista Rodrigo Pinheiro, o contrabaixista Hernâni Faustino e o baterista Gabriel Ferrandini, que vêm, desde há meia década, a construir uma carreira do maior relevo a nível internacional, assente num permanente acolhimento de músicos como John Butcher ou Nate Wooley no seio das suas improvisações, e a trompetista nortenha, fundadora da Associação Porta-Jazz e também ela a caminho de um cada vez maior reconhecimento europeu, com discos com o contrabaixista sueco Torbjorn Zetterberg ou a pianista eslovena Kaja Draksler como grandes cartões de visita.

Os bilhetes custam 3,5€, e podem ser reservados para o mail info@outra.pt

No dia 16, o ciclo de cinema documental programado em parceria com o Cine Clube do Barreiro traz a Portugal o documentário Off Ways, de 2009, retrato da mítica passagem dos incontornáveis Einstuerzende Neubauten por Berlim Leste, apenas meses antes da queda do Muro de Berlim, num encontro com o dramaturgo Heiner Muller.

A entrada é, como habitualmente, livre.

Até já!